Superando o Overtrading: Um Exercício Poderoso

Superando o Overtrading: Um Exercício Poderoso

O meu post mais recente falou sobre a verdadeira razão pela qual os traders perdem dinheiro.

Embora muitas vezes justifiquemos nosso estilo de trading afirmando que o estilo se ajusta às nossas personalidades, a realidade é que os traders perdem dinheiro precisamente porque seus traços de personalidade interferem na identificação e no trading de oportunidades que legitimamente existem nos mercados.

Em nenhum lugar esta dinâmica é mais prevalente do que na frequência de trades das pessoas.

Na maioria das vezes, os traders negociam com uma frequência que atende às suas necessidades de envolvimento, não às suas avaliações objetivas de oportunidade.

O resultado é o overtrading – tendo muito mais trades do que recompensas de oportunidades.

Existem todos os tipos de desculpas para o overtrading, incluindo a comum afirmação de que o trading frequente contribui para o trader “sentir” o mercado.

Na realidade, no entanto, as pequenas perdas que muitas vezes se acumulam com o overtrading contribuem para muitos problemas psicológicos – frustração, perda de disciplina – que os traders reconhecem levar a uma perda de percepção do mercado.

A verdadeira questão é se a frequência de trades está correlacionada positivamente com o L&P. Muitas vezes essa correlação é zero ou negativa.

Períodos de trading mais ativos correlacionam-se com um desempenho pior – e não uma melhor percepção de mercado.

Não é coincidência que um dos post mais lidos no TraderFeed lida com o porque fazemos trade emocionalmente. Normalmente, nos deparamos com problemas psicológicos no trading porque nos envolvemos demais com o mercado, não porque nos faltam compromisso ou paixão. De fato, muitas vezes a paixão é usada como desculpa para o trading viciante.

Então aqui está um experimento em que eu tenho trabalhado.

A inspiração para o experimento vem da ideia de que restrições artificiais podem agir como estímulos que estimulam a criatividade.

Por exemplo, suponha que eu diga a mim mesmo que tenho que preparar uma sobremesa saborosa que use apenas três ingredientes. Além disso, os dois primeiros componentes do prato devem ser bolo e cerejas.

Então agora eu tenho que pensar fora da caixa. Como faço para colocar cerejas e bolo juntos em uma sobremesa única e saborosa?

Eu decido que a sobremesa precisa de líquido para trazer o bolo e as cerejas juntos, então eu espremo o suco de algumas das cerejas. Lembro-me, então, que tomei uma deliciosa cerveja de frutas durante um recente tour em cervejarias.

Eu misturo a cerveja com o suco de cereja para criar um molho saboroso e despejo sobre as cerejas e em cima do bolo.

Voila! Uma sobremesa única que eu nunca teria pensado se minhas opções fossem ilimitadas.

Com isso em mente, como eu negociaria se pudesse negociar apenas uma vez por semana?

Hmmmm… isso muda tudo. Se eu só puder disparar uma bala, tenho que me certificar de que esta bala “vale a pena”.

Isso significa que não vou fazer pequenos scalps; eu quero me beneficiar de movimentos mais significativos do mercado.

Então agora eu tenho que voltar para minha pesquisa de mercado e identificar as características dos poucos grandes trades que se estabeleceram durante a semana.

Eu olho muitas semanas para trás, em muitas condições de mercado.

E eis que *existem* critérios que indicam, claramente, uma boa oportunidade semanal, mas, são diferentes dos critérios que estive observando. Eles são de longo prazo e dependem de setups que ocorrem simultaneamente em múltiplos timeframes.

Eles são como a cerveja de fruta: critérios que eu não teria pensado se eu estivesse livre para negociar em todo e qualquer timeframe.

Como conseqüência, se o trade não for configurado em timeframes definidos, não aceito.

Buscar uma boa ideia não é suficiente quando você só pode negociar uma vez por semana; você precisa dessas grandes idéias que vêm até você. Se não me atinge como uma enterrada (analogia com uma enterrada do basquete), não negocio. Eu não quero desperdiçar essa bala.

O que eu posso relatar desta experiência é que o trading, até agora, tem sido lucrativo e consistente. Se isso continuar, vou aumentar os trades seletivos; não vou fazer trade mais frequentemente.

Eu estou totalmente engajado no mercado e atualizo minha pesquisa diariamente, mas eu só negocio quando tudo vem junto. Estou perfeitamente contente em perder movimentos, desde que eu me beneficie do movimento que identifico.

Mas, assim como o bolo de cereja da cerveja de fruta é uma nova criação, o meu novo estilo de negociação proporciona uma experiência totalmente nova.

Eu verifico o mercado de manhã, ao meio-dia e à noite, mas não gasto tempo olhando para a tela. Isso me libera para fazer muitas outras coisas com o meu tempo: agora eu tenho a espaço para assumir projetos novos e interessantes.

O trading se encaixou na minha vida; minha vida não gira em torno dos mercados. É fácil dizer quando estamos em um bom caminho: a viagem nos dá energia; não nos esgota.

Negociar menos significou ganhar mais, mas, também, ser mais produtivo. Também me levou a identificar padrões para negociar no mercado que eu nunca teria percebido de outra forma.

Tenha isso em mente: o sucesso no trading vem de operar a “personalidade do mercado”, não a nossa.

Versão em inglês: http://traderfeed.blogspot.com/2017/04/overcoming-overtrading-powerful-exercise.html

Brett Steenbarger

Brett Steenbarger trabalha como coach de performance para gestores de carteiras de hedge funds e traders e é autor de The Psychology of Trading (Wiley, 2003), Enhancing Trader Performance (Wiley, 2006), The Daily Trading Coach (Wiley, 2009), e Trading Psychology 2.0 (Wiley, 2015). Escreve diariamente em seu famoso blog traderfeed.blogspot.com, onde aborda a psicologia no trading e nos mercados, enfatizando a aplicação em psicologia e finanças comportamentais.
Fechar Menu