Tudo Sobre PAYROLL: O Que é e Como Move o Mercado Financeiro

Tudo Sobre PAYROLL: O Que é e Como Move o Mercado Financeiro

Payroll é um relatório divulgado nos EUA , toda primeira sexta-feira de todo mês. O significado de Payroll, em português, é folha de pagamento. Trata-se de um relatório referente à folha de pagamentos dos Estados Unidos, com exceção do setor primário da Economia, que é o setor agrícola (por isso o “Nonfarm” antes de Payroll), empregados domésticos e ONGs. O órgão responsável pela sua divulgação é o Bureau of Labor Statistics (BLS).

Se você quer saber o que é payroll chegou ao lugar certo! Neste artigo vamos te mostrar tudo sobre Payroll.

Este importante relatório revela o número de pessoas empregadas durante o último mês, ou seja, o número mostra quantos empregos foram criados ou perdidos nos EUA.

Esse número é responsável por 80% de todos os trabalhadores dos EUA.

Junto do relatório de empregos é divulgado, também:

  • taxa de desemprego
  • média de horas trabalhadas
  • variação do salário médio anual
  • variação do ganho médio mensal
  • payroll do setor privado
  • payroll do setor de manufatura

Aprenda Como o Payroll Funciona

Como todo dado econômico, há três números a se olhar: o dado do mês anterior, a projeção para o mês atual e o valor real observado no mês. O que passou já foi, então não haverá impacto o valor do mês anterior, servindo somente como uma referência.

Os dois grandes números a se observar são a projeção e o dado em si.

Por que a projeção importa se ela não é o dado real?

No mercado financeiro, se há uma projeção para um determinado dado o valor que ela traz ao ativo onde ela tem impacto já está precificado. O que isso significa?

Vamos dizer, por exemplo, que há a expectativa de uma criação de 100 mil empregos na economia americana (que é um dado fraco). Esta expectativa baixa já está sendo considerada no preço, por exemplo, do contrato futuro de dólar.

Isso vale para qualquer dado, de qualquer ativo, de qualquer mercado, de qualquer país!

Se uma determinada empresa tem uma expectativa ‘x’ de lucro para o trimestre em questão, não adianta você comprar a ação um dia antes achando que ela vai bombar, pois, essa expectativa já está no preço. O que pode, sim, acontecer é o dado vir muito acima ou abaixo do esperado, criando outros movimentos.

Portanto, é muito importante ter o entendimento que a expectativa do payroll já está no preço dos ativos onde ele impacta.

O impacto na economia

Os números do payroll revelam a saúde da economia americana como um todo. Em geral, um número positivo mostra que as empresas estão crescendo e contratando, o que vai fazer com que essas pessoas gastem com produtos e serviços, acelerando o crescimento da economia.

Essa expectativa de aceleração ou desaceleração da economia tem impacto na taxa básica de juros dos EUA, que por sua vez impacta em demais setores da economia local e global.

O que é Payroll no Mercado Financeiro

Os dados impactam em todo o mercado de moedas (forex), juros (bond market) e nas bolsas de todo mundo. De uma forma genérica, bons números fortalecem o dólar e a bolsa americana. Não significa que será ruim para bolsa brasileira ou que necessariamente o dólar vai subir, pode acontecer justamente o contrário.

Uma maior confiança na economia americana pode dar ao investidor mais confiança para fazer negócios dentro do nosso país, ou seja, há uma “transmissão” dessa confiança através do mercado de moedas.

Esse impacto positivo é bom para o Real, para a bolsa e para os juros brasileiros. Claro que isso depende também, e muito, da saúde da nossa própria economia.

Se estivermos passando por uma crise muito ruim e os dados forem muito bons lá fora, os investidores não vão ter incentivo suficiente para deixarem seus dólares no país, o que vai ocasionar numa grande fuga de capitais, enterrando a bolsa e fazendo o dólar ir às alturas.

Nada é tão simples assim.

Lembra-se quando disse que a projeção importa?

Se o dado do payroll vier em linha com o esperado, dificilmente haverá um movimento relevante nos mercados.

Claro que terá sempre aquele movimento especulativo, mas, grandes e relevantes movimentos de grandes players, não, pois, já montaram suas posições de acordo com as previsões.

Não devemos esquecer que junto do payroll há outros dados sendo revelados. Um desses dados é também de grande importância, que é a média de ganhos por hora.

De nada adianta a economia americana ter gerado mais empregos se a variação da média de ganhos for negativa. Isso significaria que as empresas estão contratando mais, porém, a salário muito mais baixos, o que não se reverteria em consumo futuro, freando a economia.

Como dito, nada é tão simples. As entrelinhas importam!

Tão importante quanto essa variação são as horas trabalhadas. A lógica é a mesma: menos horas trabalhadas, menos dinheiro no bolso do trabalhador e menos consumo.

Histórico

Payroll History

No gráfico acima vemos o Payroll histórico desde 1990. Os períodos em cinza são as recessões. Note como a variação de emprego é negativa nessas datas, o que é normal em qualquer recessão ou depressão econômica.

Em 2010 o mercado de trabalho americano encolheu a níveis vistos em 2004 e só retomou seu número pré-crise em 2014. E aqui vemos que não é só no Brasil que essas coisas acontecem (embora aqui seja mais penoso).

O que mais ele reporta

Além de todo o já citado, o relatório informa quais setores da economia foram os que mais geraram empregos.

Assim, tanto o governo americano como os empresários podem identificar não só quais setores da economia são os mais e menos carentes de emprego, como, também, quais setores estão freando a economia.

Para mais detalhes, cheque o relatório completo clicando aqui.

Dicas de Como Operar

Devido à grande importância do relatório e seus dados é de se esperar grande volatilidade quando revelado.

Operar o payroll logo após a sua divulgação é como apostar na roleta e achar que tem alguma lógica por trás disso.

Observe o vídeo abaixo da divulgação do payroll do dia 1° de Fevereiro de 2019. Note o que acontece a partir das 11h30, horário de divulgação do mesmo. O ativo é o dólar futuro.

Está subindo ou caindo?

Note que assim que o payroll foi revelado o mercado agiu emocionalmente, os compradores começaram a competir entre si para comprar o dólar a qualquer preço, levando o preço a uma nova máxima do dia. Vamos checar a imagem abaixo e entender o que aconteceu.

Payroll Data Jan-19

Dados do payroll hoje (01/02/2019) – retirado de Investing.com

Dado Esperado vs. Dado Observado

Lembra a questão da expectativa já precificada? Pois bem, observe que a expectativa de criação de empregos para Janeiro de 2019 era de 165 mil empregos.

O dado veio em 304 mil, ou seja, 84,25% a mais que o esperado! Isso sim é uma grande surpresa!

Especuladores de plantão e desavisados, ao verem este número piscar em sua tela, começaram a comprar o dólar desesperadamente. Foi essa reação emocional que renovou a máxima do dólar.

Lendo as entrelinhas

Como dito anteriormente, vamos olhar as entrelinhas.

Apesar da criação de 304 mil empregos, a taxa de desemprego aumentou em 0,1%. Ou seja, houve a criação de 304 mil empregos, mas, mais que 304 mil também foram perdidos, o que fez com que a taxa de desempregados nos EUA subisse de 3,9% para 4%.

Isso não pode ser bom, certo? É equivalente dizer que:

Para cada 1 emprego criado, mais de 1 emprego foi perdido.

Não só isso aconteceu: não contente com a perda de empregos na economia, a variação de ganhos que era esperada em 0,3% ficou em 0,1%. Ou seja, temos menos pessoas empregadas e as que estão empregadas tiveram uma variação nos ganhos aquém do esperado.

Tudo isso se traduz em menos consumo.

Note também que o payroll do setor de manufatura teve um resultado 23,53% menor que o esperado, de 17 mil para 13 mil. Quando comparado esse valor com o mês anterior de 20 mil vemos uma queda de 35% no setor.

Não parece que a economia está tão bem quanto o primeiro dado de 304 mil empregos criados mostrou.

No olho do furacão

Passados apenas 10 minutos de negociação a partir da revelação dos dados, o dólar já perdeu mais de 20 pontos (cheque o gráfico abaixo) desde sua máxima renovada na euforia dos especuladores.

Vale notar que, nesse momento, o mercado ainda estava digerindo e interpretando os dados.

Por volta de 12h20 o dólar renovou a máxima novamente. Vejamos: das 11h30 às 12h20 (50 minutos de negociação) o mercado estava digerindo e especulando.

Foi porrada pro alto, porrada pra baixo, porrada pro alto de novo. Ou seja, uma roleta, um jogo de azar. Mercado reagindo emocionalmente, e não racionalmente.

Vamos dar uma olhada no gráfico do dólar futuro, periodicidade de 5 minutos.

Emotional Response

Profeta do passado

Olhando o gráfico já desenhado fica óbvio o que deveria ter sido feito, mas, acredite, sendo um day trader inexperiente você teria comprado junto com outros na primeira renovação de máxima, para ser stopado em segundos.

No que parecia ser um momentum de venda, que terminou às 11h40, você teria sido stopado pela segunda vez numa venda no final desse momentum, acreditando numa continuidade que nunca veio.

E, para finalizar, na renovação da máxima, teria comprado, afinal, renovou a máxima “e agora vai!” – somente para ser stopado de novo.

Frustrante, não?

O racional voltando à cena

Após a digestão e compreensão dos dados por parte do mercado, a racionalidade toma conta novamente, levando o preço de volta para a zona de valor anterior. Confira o gráfico abaixo.

Emotional vs Rational

Podemos ver claramente como a negociação do dólar volta à área de valor na imagem seguinte.

Market Profile

Note como os dois candles emocionais vêm acompanhado de grande volume. Mesmo com todo esse volume o dólar não foi capaz de segurar essa alta, isso porque os vendedores mais antenados no que estava acontecendo aproveitaram para fazer suas vendas aos especuladores.

Não deixe de notar, também, a grande sombra do candle em vermelho.

Stops

Dessa vez o que vemos é o contrário, compradores aproveitando a euforia vendedora, levando o preço de volta para a área de valor.

Para entender mais sobre área de valor acesse aqui nosso post sobre Market Profile.

O que fazer durante o pregão?

Essa é uma pergunta difícil para se dar uma resposta acurada.

O primeiro passo, com certeza, é ter tempo de tela e vivência no payroll. Se você nunca operou o payroll na conta real, continue assim até entender o que está acontecendo e o que os dados mostram para você.

Comece no simulador observando a volatilidade do ativo. Fique de olho no que acontece minutos antes do payroll. O book de ofertas fica vazio, os traders desligam os robôs (HFTs) e ficam à espera dos dados.

É interessante a movimentação que há a poucos minutos da revelação, já se pode ver um movimento especulativo.

As ofertas de compra e venda somem do book, o mercado freia, e, como mágica, começa a especulação mesmo antes dos dados serem revelados. Mostraremos imagens do book mais a frente.

O que acontece depois nós já vimos.

O meu operacional (não necessariamente é o certo nem o melhor, exceto para mim mesmo) nesse dia é assim:

  1. Análise dos Dados – aqui olho os números e faço minha própria análise para saber se isso vai ser bom ou ruim para a moeda americana. Faço isso sem pressa. Digo mais: qualquer pessoa com conhecimento básico de economia é capaz de chegar num viés individual.
  2. Análise da Euforia – vejo pra onde o mercado está indo e se ele está agindo de forma racional ou emocional. Fico aguardando o “burburinho” passar, ou seja, espero especuladores e YouTubers meterem os pés pelas mãos e o mercado começar a voltar à racionalidade.
  3. Tendo meu viés montado e o mercado agindo de forma mais racional, procuro entrar numa boa posição comprado ou vendido (dependendo do viés).
  4. Costumo não alongar muito esse tipo de trade devido a alta volatilidade do dólar após a divulgação do relatório, mas, dependendo de como estão os fluxos de agressão e liquidez eu faço uma parcial de 50% da minha posição e um trailing stop com o resto dos 50%.

Lembrando que está não é uma sugestão nem recomendação de como operar, somente estou compartilhando o meu operacional. Lembre-se de criar sua própria estratégia.

A espera da divulgação e a falta de liquidez do mercado

Enquanto a divulgação não sai o mercado fica em compasso de espera e a liquidez seca.

Nas imagens abaixo vamos checar o que acontece no book de ofertas minutos antes de soltarem o relatório do payroll. O ativo é o contrato de dólar futuro.

Book

Book

Note como a partir das 11h15 a liquidez começa a ficar menor no mercado do dólar.

Às 11h20 e 11h25 a liquidez começa a ficar escassa.

Um minuto antes da divulgação a liquidez praticamente some.

Mercado sem liquidez é extremamente perigoso, pois, fica sujeito à grandes oscilações, dificultando o trabalho do day trader. Claro que a volatilidade é desejada e até necessária, mas, em doses não cavalares.

Um book de ofertas vazio, magro, não é um book saudável! Justamente pelo motivo citado acima. E é por isso que operar o payroll chega a ser uma “arte”. Esta que eu mesmo ainda não dominei (o que já não digo do meu mentor e amigo).

O fluxo de agressão pós-divulgação

Cheque o vídeo abaixo e note o fluxo de agressão no contrato futuro do dólar (a velocidade foi reduzida para 0,5x para facilitar a visualização).

É notável, mesmo com a reprodução em 0,5x, como os compradores e vendedores ficam mais agressivos após a divulgação dos dados.

Você poderá notar, se olhar com cuidado, que às vezes um pouco de agressão move muito o preço. Isso acontece porque há pouca liquidez no mercado (como notamos nas imagens anteriores) e muita agressão, fazendo com que qualquer marola vire uma tsunami (sim, se você percebeu a referência não é mera coincidência).

Para entender essa dinâmica é necessário entender o fluxo de agressão vs. fluxo de liquidez, mas, para o momento, esse não é o foco.

Estabilidade da corretora e plataforma

Uma coisa que não posso deixar de comentar é em relação à estabilidade da plataforma, bem como da sua corretora.

Comentei em um post sobre como escolher a melhor corretora para day trade sobre isso. Você não quer ter o serviço interrompido ou atrasado durante a operação do payroll.

O importante é que você entenda o que acontece antes e durante a divulgação e porque. Assim estará mais preparado e atento aos movimentos. Esse é o nosso objetivo!

Guilherme Farina

Guilherme Farina foi aluno da Formação Day Trader Pro e hoje faz parte da equipe DTP. É formado em Administração de Empresas pela PUC-SP e pós-graduado em Economia pela FGV-SP. Empresário desde 2009 e investidor no mercado financeiro desde 2005, iniciou sua carreira como day trader em 2017.

Deixe uma resposta

Fechar Menu