Como Escolher a Melhor Corretora para Day Trade (2019)

Como Escolher a Melhor Corretora para Day Trade (2019)

A melhor corretora para day trade, na realidade, “não existe”. O que existe é a melhor corretora de valores que se ajusta às suas necessidades. Portanto, na hora de escolher a melhor corretora para você é necessário pesquisar seus custos, atendimento e estabilidade da plataforma.

Você quer saber qual a melhor corretora para day trade?

Nós da DTP preparamos este guia completo e bem detalhado com tudo o que você precisa saber para fazer essa escolha.

Para te ajudar a navegar pelo post criamos os índices abaixo. Boa leitura!

  1. Corretora Day Trade vs. Investimento
  2. Custos Que Fazem a Diferença
  3. Tradição e Selos de Qualificação
  4. Atendimento
  5. Website, Home Broker e App Mobile
  6. DMA – Direct Market Acess (Acesso Direto ao Mercado)
  7. Corretora Day Trade e Suas Nuances

Corretora Day Trade vs. Investimento

Vale lembrar que uma boa opção de corretora para day trade não necessariamente é a melhor corretora para investimento, e vice-versa.

As demandas do investidor e do day trader são diferentes. Portanto:

a percepção da qualidade da mesma corretora para um investidor e para um day trader é diferente.

Como nosso foco neste post é no day trade, vamos dar as dicas com esse foco.

Isso não significa que elas não se apliquem para o investidor, apenas lembre de fazer alguns “ajustes” quando mudar o foco.

A melhor corretora para day trade, realmente existe?

Vamos ser honestos. É difícil eleger um fornecedor, seja de um produto ou serviço, que seja o melhor em todos os quesitos e que atenda a demanda de cada pessoa ou empresa que o contrate no melhor preço possível.

No mundo ideal isso existe, no real, não. Sempre tem um detalhe ou outro…

Fora que o mercado das corretoras é um mercado com razoável competição, o que faz com que elas se transformem com o tempo, seja para melhor ou pior.

De nada adianta fazermos um post com ‘N’ categorias e rankear cada corretora do mercado, pondo cada custo de cada corretora em determinado serviço, ou pontuar determinado critérios segundo meu ponto de vista. Serei sincero: seria um trabalho burro!

Sim, burro! Isso porque o post estaria atualizado até o momento da publicação dele. No dia seguinte já haveria a possibilidade de estar desatualizado, dando informação errada para nossos leitores, que não é nossa intenção.

Ou seja, teríamos que atualizar o post com frequência, revisitando todos os sites de todas as corretoras e etc.

Você achará no Google algum blog que já o tenha feito e vou dizer mais: eu já li a maioria e nenhum têm a intenção de ajudar você a encontrar a melhor corretora!

Muito pelo contrário, têm a intenção de te induzir a escolher por determinada corretora ‘X’. Te dão a ilusão de que estão te ajudando enquanto na verdade estão te empurrando uma ideia goela abaixo.

Então, melhor do que bater o martelo e te empurrar uma verdade que não existe, vamos fazer diferente: vamos te dar as ferramentas necessárias para que sozinho tire sua própria conclusão.

Vamos mostrar ao que ficar atento e por que. Daí em diante poderá, com um pouco de pesquisa, chegar sozinho na melhor resposta. Assim achará a corretora que se adeque às suas necessidades, e não às necessidades do escritor do blog.

Parece boa ideia?

Os Custos Que Fazem a Diferença

E aqui lidamos com um detalhe importantíssimo que é a questão do custo. Eles fazer toda a diferença entre um pequeno ganho e um ganho razoável. Podem também ser o motivo de um pequeno prejuízo no lugar de um pequeno lucro.

Os custos nas ações

Para negociar ações é necessário pagar os seguintes custos:

  1. Corretagem
  2. Custódia
  3. Emolumentos da bolsa
  4. IR (no caso de lucro no mês operado)

No caso dos emolumentos e IR, eles são iguais para todas corretoras.

Como o objetivo do post é com relação às corretoras e não aos custos da renda variável, vou passar rapidamente pelos itens 3 e 4 para focar na questão da corretagem e custódia.

Emolumentos

São cobrados:

  • Emolumentos da B3, onde:
    • 0,027% é cobrado para operações normais (quando não é day trade).
    • 0,019% é cobrado no caso de operações day trade.
  • Taxa de Liquidação, onde:
    • 0,008% é cobrado para operações normais.
    • 0,006% é cobrado para operações day trade.
  • ISS (Imposto sobre Serviço), onde:
    • o valor depende da cidade onde opera. Em São Paulo gira em torno de 5%.
    • Há algumas corretoras que isentam o cliente desta taxa.

Imposto de Renda (IR)

Valor do IR:

  • 15% para operações normais (não day trade):
    • Incide quando, no mês, o valor das vendas atingem R$ 20.000,00.
    • Quando há a incidência há uma cobrança, na fonte (na nota de corretagem da corretora você conseguirá ver), de 0,005% dos 15%. É o famoso dedo-duro.
    • Isento de IR quando as vendas não atingem R$ 20.000,00.
  • 20% para operações de day trade:
    • Quando houver lucro no mês, incidirá a cobrança de IR.
    • Quando houver lucro no dia, incidirá, na fonte, a cobrança de 1% dos 20%.

Custódia

A taxa de custódia é um valor cobrado pelo que é chamado de Agente de Custódia. No caso, será sua corretora.

Não há uma tabela ou valor pré-estabelecido, então cada corretora cobra o seu próprio valor. Não costuma ser um valor alto e muitas nem cobram esse valor.

A custódia é referente à manutenção dos ativos do cliente em sua carteira.

Obviamente que se trata somente para ativos em carteira, ou seja, day traders nunca terão esse problema, pois, zeram suas posições.

A cobrança é feita diretamente na conta corrente do cliente na corretora.

Corretagem

Essa é uma questão importante, pois, os custos dos itens 3 e 4 são iguais para qualquer corretora, logo, não tem como elas disputarem entre si por esses custos.

A não ser, é claro, que resolvam absorver parte dos custos dos clientes para si mesmas, como no caso do ISS.

A taxa de custódia não costuma ser muito impactante na vida do investidor.

Então, a disputa fica pela corretagem mais barata. Se olhar o marketing das corretoras para captação de clientes eles são sempre bem apelativos com essa questão.

Vale falar que a própria bolsa tem uma tabela de corretagens padrão, conhecida como “Tabela Bovespa”.

Ela foi estabelecida há muitos anos atrás pela CVM para estabelecer limites máximo cobrados pelas corretoras de seus clientes. No ano de 2000 ela foi desfeita pelo CMN, o Conselho Monetário Nacional.

Apesar disso as corretoras a usam até hoje.

Como é composta a Tabela Ibovespa:

Tabela Ibovespa

Agora uma coisa muito importante: há corretoras com valor de corretagem tão baixo quanto R$ 2,50 por ordem executada. Isso significa que se o trader fez somente uma operação de day trade no dia, ele vai pagar R$ 5,00, referente a uma ordem executada de compra e outra executada de venda, totalizando 2 ordens (2 x R$ 2,50).

Se o trader que fez esta operação a fez com baixo volume financeiro, pode até ser que valha a pena. Porém, dificilmente se opera no mercado com menos de 3029,39 reais (vou arredondar esse valor para 3030 mais à frente) reais, ainda mais por causa da alavancagem oferecida pelas corretoras (isso é papo para outro post, o que importa é saber que esse volume financeiro de 3030 reais não é a regra, mas, a exceção).

Considerando como verdadeira a hipótese de que o trader operou mais de R$ 3030, só o valor fixo ficou em R$ 25,21, fora o variável de 0,5%.

Exemplo (operação normal)

Trader compra 1.000 ações a R$ 10,00, totalizando um volume financeiro de R$ 10.000,00.

O trader pagará de corretagem o valor de R$ 75,21 (10.000 x 0,5% = 50; 50 + 25,21 = 75,21).

Esse valor representa um acréscimo de 0,75% no preço médio do investidor. Claro que, quanto maior a quantia, menos impacto os R$ 25,21 têm no preço, todavia, o 0,5% sempre estará lá para piorar o valor da compra.

Pela tabela da corretora o investidor pagará R$ 2,50, referente a uma ordem executada. O impacto é tão pequeno que não dá para ser calculado no preço médio.

Exemplo (operação day trade)

Vamos agora considerar os mesmos valores do exemplo anterior, 1.000 ações a R$ 10,00.

Por ser uma operação de day trade, o trader teve que fazer uma operação de compra e outra de venda. Para facilitar a didática vamos considerar que ele comprou e vendeu a R$ 10,00.

O volume financeiro a ser considerado é de R$ 20.000,00, 10.000 reais na compra mais o mesmo valor na venda.

Pela Tabela Bovespa o trader pagará R$ 125,21.

Pela corretora o trader pagará somente R$ 5,00, ou seja, duas ordens executadas, uma de compra e uma de venda.

O cliente pode escolher?

Quando você usa a plataforma da sua corretora para fazer as suas operações, por via de regra, você paga a corretagem da corretora.

Para pagar pela Tabela Bovespa a melhor coisa é se informar com o pessoal do atendimento de como fazer.

Qual tabela compensa mais?

Sinceramente, para traders e investidores pequenos como nós, acaba sempre compensando o valor cobrado pela corretora.

Nunca me vi numa situação onde a Tabela Bovespa fosse melhor, nem nunca ouvi falar de algum colega que se visse nessa situação também.

Voltando à corretora para Day Trade

Todo esse texto foi para mostrar a você como funciona e como impacta no preço a corretagem.

Assim, considerando apenas a corretagem, a “melhor” corretora seria a mais barata. Veremos mais para frente o por que só corretagem não conta.

Um risco das corretoras muito baratas é que elas podem ficar devendo em algum outro ponto, como estabilidade do sistema, atendimento, etc.

Afinal, corretagem muito barata ou até “corretagem zero” pode fazer falta na corretora para que invistam onde mais importa.

Algumas corretoras trabalham com planos de conta ou planos de corretagem.

Plano de Conta

O plano de conta é uma mensalidade que o investidor paga onde tem acesso a preços diferenciados para corretagem, contratação de plataformas e etc.

Claro que, quanto mais caro o plano, mais barata a corretagem e outros custos.

O melhor plano não é o que oferece menor corretagem, mas, o que se encaixa no seu perfil operacional.

Plano de Corretagem

O plano de corretagem é bem diferente do plano de conta.

No caso, o trader paga por uma quantidade de ordens ‘X’ quem uma validade ‘T’. É, mais ou menos, como um plano pré-pago de celular. Parece confuso, então vamos a um exemplo prático.

O trader paga R$ 100,00 e tem direito a emitir 500 ordens. Nesse plano hipotético o trader pagar R$ 5,00 por ordem. E o trader tem 3 meses para executar as 500 ordens. Passado esse tempo ele deve renovar o plano ou contratar um maior ou menor pacote.

Qual compensa mais?

Eu prefiro o plano de contas, pois, o plano de corretagem acaba te obrigando a operar só para fazer valer o que deixou pré-pago. Essa obrigação pode te levar a fazer operações desnecessárias.

Preços de corretagem para referência

Ações e ETFs (lote padrão) – Até R$ 3,00 por ordem executada

Opções e Mercado Fracionário – Até R$ 3,00 por ordem executada

Contrato Futuro Dólar e Índice (mini) – até R$ 0,20 por contrato

Contrato Futuro Dólar e Índice (cheio) – até R$ 1,00 por contrato

Os preços acima são uma referência de bom preço de corretagem.

Tradição e Selos de Qualificação

Como é de conhecimento popular, tradição importa, é assim no futebol e é assim com as corretoras.

Tempo de mercado e solidez caminham juntos. Quando fizer sua pesquisa tenha isso em mente. Não deixe de ouvir as opiniões de quem está no mercado há mais tempo.

Lógico que nunca saberemos qual é a real situação financeira da corretora que escolhemos, daí a importância de se fazer uma pesquisa com calma.

Existe a possibilidade de se checar pelo site da CVM quais corretoras estão em situação regular, não deixe de acessar esse link e checar a situação da corretora que pretende operar e até mesmo da corretora que já opera (sim, cheque periodicamente, não custa nada).

PQO (Programa de Qualificação Operacional)

PQO Melhor Corretora para Day Trade

 

O PQO é uma iniciativa para avaliar e reconhecer a qualidade dos serviços prestados pelas corretoras e bancos que atuam nos mercados administrados pela B3.

Cada selo tem um pré-requisito a ser cumprido e atestam pela excelência do determinado serviço prestado.

Para saber mais especificamente a que cada selo se refere acesse o site da B3 e leia sobre eles.

Atendimento

Imagine a seguinte situação: você está operando e seu computador ou notebook desliga por qualquer que seja o motivo.

Você está no meio de uma negociação e precisa zerar sua posição. Obviamente que vai ter que ligar para sua corretora.

Se o atendimento da sua corretora for tão rápido quanto a de bancos quando tenta cancelar um cartão de crédito, podemos dizer que vai perder um bom dinheiro.

Preste atenção para essa questão. Talvez você nunca precise usar o telefone, talvez precise com mais frequência do que gostaria. Não importa. O que importa é que a sua corretora deve ter um atendimento no mínimo mais que satisfatório. Em números eu diria que uma nota 3,5 de 5 (no mínimo).

Como uma nota pessoal devo dizer que não faço negócios com qualquer fornecedor de qualquer serviço que não preste bom atendimento, por isso essa exigência e recomendação.

O que levo em consideração na minha avaliação de atendimento:

  1. Rapidez no atender da ligação.
  2. Qualidade da ligação (nada pior que telefone baixo/alto demais e ligações que caem).
  3. Cordialidade e esforço do atendente em entender o meu problema.
  4. Rapidez na solução do meu problema.
  5. A não tentativa em vender um produto que não preciso.

E esses são os principais pontos que levo em consideração no atendimento.

Website, Home Broker e App Mobile

Você já visitou uma corretora? Notou quantos clientes estão lá dentro? Se nunca visitou ou conhece alguém que o tenha feito, vou te contar quantos tem: zero!

Estagiei por dois meses na antiga corretora Spinelli (atual Necton depois da fusão) e posso dizer isso.

É tudo online, tudo! Desde a abertura do cadastro até as operações. Nada é feito fisicamente, só virtualmente.

É de se esperar, então, que o site da corretora, o home broker e seu aplicativo para celular funcionem muito bem.

Afinal, você não quer ter que recorrer toda hora ao telefone. Por melhor que seja o atendimento você quer que as coisas funcionem da melhor maneira possível, certo?

Das três questões online citadas, a menos importante é a do home broker. Isso porque para day traders não há home broker que dê conta do nosso trabalho. Você vai ter que contratar uma plataforma de terceiros de qualquer jeito.

É meio que inadmissível na era onde tudo se faz online (até arrumar encontros “românticos”) que as plataformas online de sua corretora sejam mal feitas (tanto funcionalmente quanto esteticamente).

Mais uma vez terá que recorrer à ajuda de colegas para saber como é que funciona essa questão em cada corretora. Outra solução seria fazer cadastro em várias e ir testando.

Acesso à informações

A sua corretora deve disponibilizar para você via web todas as informações que venha a necessitar sobre sua conta de forma clara e precisa.

Se você não está achando alguma informação, pode ser:

  1. Falta de prática do usuário na plataforma online.
  2. Falta de organização do site.

Muitas vezes a primeira alternativa é verdadeira, pois, em geral, as pessoas leem os menus de opções tudo muito rápido ou simplesmente não leem, então, é claro que não encontram o que precisam.

Todavia, há sites e sites… Tem webmasters que simplesmente não entendem de estética e organização de caixas de seleção, menus e etc.

Cheque qual é o caso.

Plataformas de terceiros

Praticamente todas as corretoras te dão acesso às plataformas de trading de terceiros.

É só questão de checar o custo de cada plataforma. Lembra do plano de contas? Pois bem, na minha atual corretora pago um plano onde a plataforma ProfitChart Pro é “grátis” (lembrando que já estou pagando pelo plano).

Caso eu não pagasse pelo plano eu teria que pagar o valor do meu atual plano na assinatura da plataforma, então, é óbvio, que compensa pagar o plano para ter acesso a custos mais baixos (eles sabem o que fazem).

Lembre-se: você vai precisar de uma plataforma!

Serviços adicionais

Na minha atual corretora posso contratar e cancelar qualquer pacote de serviço adicional à minha conta pela web.

Acredite, o fato de eu ter essa independência me fez amar ainda mais minha corretora. Como escrevei anteriormente, ter um atendimento bom é ótimo, mas, não precisar usá-lo é melhor ainda.

No caso da minha corretora, é isso aí: o atendimento é ótimo (4,5 de 5) e só precisei usá-lo algumas poucas vezes. Atualmente faço tudo online!

Isso poupa o trabalho e, muitas vezes, a preguiça de pegar o telefone e ficar minutos e mais minutos para fazer algo que você mesmo faria em dois minutos.

DMA – Direct Market Acess (Acesso Direto ao Mercado)

O DMA é um canal de comercialização de ativos que conecta o cliente final, autorizado por sua corretora, ao ambiente eletrônico de negociação da Bolsa.

Por este canal o investidor recebe informações de mercado em tempo real (preço atual, inclusive o livro de ofertas, histórico de negócios, etc) bem como envia suas ordens de compra e venda à bolsa.

Atualmente, as corretoras oferecem para clientes pessoas físicas dois tipos de DMA:

  1. DMA 1 – Este modelo, que é o tradicional, consiste no roteamento de ofertas via infraestrutura tecnológica (física) da corretora, admitindo duas configurações:
    1. Conexão direta do cliente com a infraestrutura da corretora e, a partir dela, com a Bolsa (home broker).
    2. Conexão do cliente com uma empresa provedora de serviço de roteamento de ordens, desta com a corretora e, por fim, da corretora com a Bolsa.
  2. DMA 2 – Neste modelo o cliente conecta-se diretamente à empresa provedora de DMA que, por sua vez, se interliga à Bolsa. O roteamento das ordens ocorre via infraestrutura fornecida pela empresa provedora de DMA. O vínculo entre o cliente e a corretora é controlado pelos sistemas da Bolsa e da provedora de DMA, uma vez que as informações enviadas pelo cliente não trafegam pela infraestrutura tecnológica da corretora.

Resumindo:

  • DMA1: toda infraestrutura é responsabilidade da corretora.
  • DMA2: toda infraestrutura é responsabilidade do provedor do sistema.

A recomendação é escolher corretoras que oferecem seu roteamento através de DMA 2, pois, isso tem grande impacto em termos de velocidade de envio e recebimento de informações bem como na estabilidade de roteamento.

Num post que escrevi sobre payroll comento da importância da estabilidade da plataforma e corretora. Dê uma lida para não só saber mais sobre o payroll, mas, para ver como é importante a estabilidade num dia como este.

Corretora Day Trade e Suas Nuances

Como vimos, são tantas as variáveis e exigências de cada pessoa que fica difícil falar “esta corretora ‘X’ é a melhor corretora para day trade!”

Avalie todas as variáveis que englobam essa escolha e eleja você mesmo a melhor corretora, lembrando que a melhor pra mim pode não ser pra você.

Vale lembrar que as corretoras não trabalham como sendo especificamente para day trade ou não, elas servem para todos os traders e investidores.

Devido à natureza do trabalho do day trader algumas podem se sobressair às outras devido alguns detalhes, mantenha esse aspecto na cabeça quando for tomar sua decisão.

Quaisquer dúvidas estamos sempre prontos para ajudá-los!

Guilherme Farina

Guilherme Farina foi aluno da Formação Day Trader Pro e hoje faz parte da equipe DTP. É formado em Administração de Empresas pela PUC-SP e pós-graduado em Economia pela FGV-SP. Empresário desde 2009 e investidor no mercado financeiro desde 2005, iniciou sua carreira como day trader em 2017.

Deixe uma resposta

Fechar Menu